Curso de iorubá

O que significa Dofono, Dofonotin, etc! (Não é Yorùbá)

Postado em

1237911_1442753362617383_1377176591_n

 

Mo júbà àwon òré mi (Saudações meus amigos)

 

Muitas pessoas, muitas mesmo… e isso faz tempo, sempre me perguntam sobre vários significados de várias palavras que são ditas dentro do Candomblé. Estranham quando em curso eu não cito algumas e logo perguntam sobre as mesmas.

Ficar sem entender a fundo pelo menos o significado de algumas palavras era algo extremante irritante pra mim no começo dentro do Candomblé… me sentia como um cego numa avenida movimentada, muito barulho sem nada entender. Depois de muito estudo e contatos com pessoas diversas, algumas de outras religiões, a cabeça começou a se abrir em relação ao idioma. Se você quiser, pode aprender um pouco nas aulas gratuitas que postei aqui no blog a tempos atrás, clique nos links abaixo que irá para cada aula dada:


Aulas 1Aulas 2  – Aula 3  –  Aula 4  –  Aula 5  –

 Aula 6  –  Aula 7  –  Aula 8  –  Aula 9  

 


Dofono – Dofotin – Gamo – Gamotin

Umas das expressões mais usadas dentro do Candomblé são esses acima, indicando geralmente a ordem de barco, que geralmente está associado ao òrìsà que a pessoa será inciada. Havendo uma pessoa para ser iniciada de Èsù e outra de Oyá…. quem for de Èsù será Dofono e de Oyá Dofonotinho… e havendo uma terceira pessoa de Ìyémojá, essa será Fomo. Tem muito mais, algumas casas adotam a essa ordem também para pedir benção, comer e todos os outros afazeres. Por que digo algumas casas? Há aquelas que não seguem essa ordem. Assim como tem casa que a benção deve ser pedida por todo o barco que foi iniciado juntos.

 

curso_de_iorubá_banner

Mas Olùkó, o que significa essas expressões??? Qual a tradução do Yorùbá para Português?

Eu digo: nenhuma. As palavras são do Fongbè, idioma do Candomblé Jèjè. Breve trarei outras palavras do Fon que as pessoas pensam ser Yorùbá, inclusive nomes de Òrìsà e as tidas qualidades. Mas lembro que a muito tempo atrás em contato com um amigo que leciona o idioma, ele me passou melhor o que viria a ser cada palavra e seu profundo simbolismo religioso.

Tudo se concentra em cima da palavra “Fon” que vem a ser a cerimônia de acordar de cada iniciado e conforme vão dando os nomes. Essa ordem tem haver como disse a acima, com o òrìsà, no caso vodún que será iniciado o neófito.

Seguem as ordens e os nomes:

1-Donfonnu– Aquele que está “longe de ser um Fon”;

2-Donfonnu tiin– Aquele que está “muito longe de ser um Fon”;

3-Fonmu– É o “fon cru”;

4-Fonmutiin– É o “fon muito cru”;

5-Gànmu– Assimilado ao “ferro cru”;

6-Gànmutiin– “ferro muito cru”;

7-Vimu– A “ criança crua”;

8-Vimutiin– É a “criança muito crua”.

 

Mu” é o estado cru do iniciado, pois todos sabemos que a iniciação é um renascimento. Bom lembrar que assim como no Yorùbá, essas palavras foram sendo aportuguesadas, ganhando peso de gênero e tamanho. Dofono (masculino) e dofona (feminino). Temos também o tamanho: Dofono e Dofonotinho, não tendo na verdade uso lógico.

 


Baixe Sua Apostila Gratuita de Yorùbá Com Áudios – Sucesso Absoluto de Críticas Positivas. 

CLIQUE_AQUI


Mas por que isso Olùkó, por que idioma diferentes dentro do Candomblé?

Ora, simples. O Candomblé pode ser considerado uma colcha de retalhos cultural. Uma forma de resistência cultural e religiosa que abrigou africanos de diversas etnias, aldeias, cidades e reinos. Natural foi a mistura de divindades, idiomas e costumes. Essa organização aconteceu num momento histórico que favorecia os da nação Ketú, mas lembre-se que antes já haviam candomblés acontecendo pela Bahia e Rio de Janeiro. Mas isso é assunto para outra postagem rs.

Ficou curioso em aprender mais sobre o Idioma Yorùbá e aprender mais e mais…. No Youtube temos aulas gratuitas onde você pode aprender sem pagar nada. Venha e conheça o canal da Educa Yorùbá. Abaixo segue o nosso mais novo vídeo postado:

 

 

O dábò gbogbo

Olùkó Vander

Como Aprender a Cantar Corretamente Candomblé??

Postado em

308646962_df8a1e8269

 

Mo kí gbogbo!

O pedido de ajuda que constantemente recebo por e-mail sempre para nesta pergunta: Olùkó, como posso fazer para cantar um Candomblé corretamente? De cada 10 e-mails que recebo, 6 acabam chegando nessa pedra. E quem me conhece de tempos já conhece minha resposta. Porém, por que ficar dando a mesma resposta quando posso responder aos alunos e futuros alunos por aqui, de uma única vez? 

Um Candomblé bem cantado é algo que encanta, os convidados irão sempre chegar naquele momento que  comentam sobre como o akorin puxou cantigas no momento certo, que a energia era maravilhosa, com emoção e cantando corretamente cada palavra… ops… mas aí que mora o problema! Muitas pessoas cantam maravilhosamente orin sem muitas vezes saber o que significa cada palavra. Geralmente aprendeu a cantiga de ouvidos, sabendo qual é para qual òrìsà, para qual momento, para qual ritmo dos atabaques. No entanto, quando é uma pessoa detentora desses conhecimentos, sabendo que cada palavra proferida e cantada tem poder(Palavras tem poder no Candomblé, veja esse Post), tem àse…. ele dá um verdadeiro show… engrandece a roda e o òrìsà vibra de tanto gosto!

Mas como chegar a esta maestria? Vamos ver algumas formas, mas todas elas passam por conhecer as bases do idioma Yorùbá!

Bebezinho-cantando

3 Maneiras de Aprender a Cantar um Candomblé

 

Não são formas definitivas, mas são as três formas que indico aos meus alunos, sendo muitos zeladores e zeladoras que buscam melhorar seus barracões e ter seus filhos cantando com coerência!

#1 – Fazendo um Curso

Parece óbvio né a primeira opção, mas realmente há bons cursos que ensinam cantigas, suas letras e explica a história envolvida ali. O importante na escolha do curso e do professor é saber se ele segue a mesma “cartilha” de seu Ilè. Pois sempre percebo que de àse para àse algumas letras mudam e até cantigas que existem em uma não há em outra. Se seu zelador conhecer alguém, seria a melhor forma de buscar uma indicação.
Algumas pessoas tiveram boas bases de ensino, aprendendo com zeladores antigos que conheceram descendentes de escravos que dominavam bem o idioma. Outros estudaram mesmo a fundo e por isso tem essa maestria. Algumas casas ensinam também antes mesmo que a pessoa se inicie lá.

 

#2 – Livros que acompanham áudios

Nessas horas só me vem um material na cabeça, apesar das críticas que o autor ainda hoje, após seu falecimento sofre, falo do Sr. Altair T’Ògún e de seu livro Nkorin S’awon Orisa que possui áudios espalhados pela internet e vídeos no Youtube já com as letras e áudios.

Esse material foi um dos pioneiros, vindo com a grafia correta, forma como deveria ser cantada, áudios e qual o toque do orin. Alguns acusam o autor de inventar letras ou de trazer cantigas cubanas para o Brasil, tentando colocá-las para ser cantadas na praça. Como disse, ainda hoje o autor sofre críticas, mas é normal quando se começa com um trabalho pioneiro. Bàbá King também tem materiais com áudios de cantigas e orações, mas poucas eu ouço hoje em dia em rodas!

Todo material na verdade você deve estudar e ver se é cantado da mesma forma em seu barracão, pois do contrário não irá surtir efeito você ficar cantando coisas que ninguém sabe responder ou que não é praticado em seu ilé. Novamente siga ao lado de seu zelador ou zeladora buscando orientação e apoio.

 

idioma_Yoruba

 

#3 – Estude as bases do Idioma Yorùbá

As bases do idioma Yorùbá permite que você consiga transcrever muita coisa que ouve e também a pronunciar as palavras de maneira precisa. Mas entra um problema: conheço muita gente que canta belamente, mas não sabe o idioma Yorùbá… aprendeu de ouvidos, mas não conhece a base fonológica e nem gramatical do idioma.

Com 100% de certeza (Sou suspeito de falar) o estudo do idioma Yorùbá ajuda no aprendizado de cantigas e sua correta canção. Perceba a diferença de uma pessoa cantando um Candomblé bem entonado e um Candomblé cantado a torto e direito somente por repetição de palavras.. a diferença é bem gritante. Um estudante de idioma Yorùbá ainda tem a vantagem de saber o significado das palavras, cantando não somente com palavras, mas com o corpo e com gestos de mãos, expressões de rosto! Querendo aprender o idioma Yorùbá clique aqui e saiba como! Posso te ajudar nessa empreitada!


Atenção: Tem muitas coisas malucas pela internet, letras sem pé nem cabeça com traduções piores ainda. Tenha uma atenção bem crítica nessa hora.


Poderia até mesmo colocar uma quarta opção aqui, que seria a de unir essas três formas em uma e você sair fazendo um verdadeiro show por ai.

De qualquer forma, importante é que você aprenda as bases do idioma e junte isso a seu estudo de cantigas. Sempre peça orientação ao seu zelador ou ògá antigo da casa para também conhecer os fundamentos por trás da cantiga…. indo até onde lhe permitam.

Para finalizar, baixe sua apostila com áudios do Curso de Introdução ao Idioma Yorùbá e veja como pode te ajudar… Clique na Imagem abaixo!

 

curso_de_iorubá_banner

 

Espero que tenha ajudado aos que buscam orientação de como aprender as cantigas de Candomblé!

 

O dábò – Olùkó Vander

 

Paramos mas retornamos!

Postado em Atualizado em

Mo júbà gbogbo!

 

Paramos nossas tarefas por um curto tempo devido a problemas familiares graves e por alguns entraves nos projetos que breve irão aparacer para nossos alunos!

Mas para todos que ainda tenham dúvidas em relação a nosso trabalho, não esqueçam que podem nos enviar um e-mail que tão logo serão respondidos ou também pelo Whatsapp.

E-mail: bara_rj@hotmail.com

Whatsapp: 021 -97502-0569

Já, já estaremos postando matérias e dúvidas de alunos que anseiam em aprender cada vez mais.

Grande abraço

 

Olùkó Vander!

Aula de Yorùbá Para Candomblé – #8

Postado em Atualizado em

Capturar

Mo kí gbogbo

E aqui estamos depois de algumas tribulações, agora estamos em nossa oitava aula de Yorùbá para CandombléAulas de Yoruba de Graça – e vamos hoje entender a família. Como a estrutura da família de santo se assemelha muito à família de sangue, fica fácil fazer as associações que veremos agora.

família yoruba

 A Família

Para entendermos a imagem acima, temos que conhecer alguns termos de fácil pronúncia e associação, pois convivemos com elas todos os dias, mas algumas são erroneamente usadas. Vejamos:

idioma_Yoruba

E = Família (Acima temos a Família Akínwálé)

Em algumas aulas passadas do Youtube (Clique aqui e assista) falamos sobre os termos mãe e pai. Temos:

Bàbá = Pai

Màmá = Mãe (Muitas pessoas conhecem apenas o Ìyá)

Então nós temos: Bàbá Fémi e Màmá ou ìyá Oláníkèé.

Mas e as crianças Olùkó?

Vamos trabalhar agora com o conceito de irmãos, pois o de pais é bem fácil, apenas entrou um termo novo (Màmá). Para os irmãos muita gente chama qualquer pessoa mais velha de “egbo mi“, inclusive algumas pessoas pensam ainda que se refere a algum cargo. Mas o termo se refere ao seu irmão mais velho, pois o “mi” é o pronome possessivo meu e ègbón significa um irmão mais velho, pertencente a sua família. Vamos ver:

Ègbón = Irmão(ã) mais velho(a);

Àbúrò = Irmão(ã) mais novo(a);

Mi = Pronome possessivo “Meu”.

Temos então que Bùnmi é Àbúrò de Báyò. E que Lolá e Jídé são àwon ègbón de Bùnmi e Báyò. Lolá é ègbón de Jídé. Bùnmi é àbúrò de Jídé. Ufa rs, compreendeu. Uma forma simples de você internalizar isso e usar exemplos reais com irmãos de amigo e com seus irmãos.

curso_de_iorubá_banner_2

Certo Olùkó, mas em uma família temos tios, tias, avós e avôs???

Calma, vamos que vamos pois não terminamos essa aula ainda. Vamos ainda responder a uma questão que sempre me falam. Que usamos ègbón e àbúrò pois assim estamos dizendo que a pessoa faz parte de nossa família religiosa em forma mais alongada… mais extensa. Enfim, temos a solução para isso. 

Arákùnrin = Irmão

Arábínrin = Irmã

E a partir dessa formação podemos formar o tio e tia. Vejamos:

Arákùnrin ìyá = Tio (Arákùnrin ìyá mi = meu tio por parte de mãe)

Arábìnrin Ìyá = Tia (Arábìnrin Ìyá mi = minha tia por parte de mãe)

Arákùnrin Bàbá = Tio (Arákùnrin Bàbá mi = meu tio por parte de pai)

Arábìnrin Bàbá = Tia (Arábìnrin Bàbá mi = minha tia por parte de pai)

Essa parte terminamos, agora conhecemos os tios e tias por parte de mãe e por parte de pai. Mais falta a origem da família, os ancestrais que dão início a tudo isso, são os avós e também abordamos o tema em nossas aulas gratuitas do Youtube, não deixe de ver clicando aqui. Lá vamos:

Parte feminina formada por Ìyá:

Ìyá nlá = Avó

Ìyá ìyá = Avó

Ìyá ìyá ìyá = Bisavó

Ìyá ìyáwo = Sogra (mãe da esposa)

Ìyá oko = Sogra (mãe do marido)

Agora por parte do pai, ou por parte do Bàbá:

Bàbá nlá = Avô

Bàbá bàbá = Avô

Bàbá bàbá bàbá = Bisavô

Bàbá ìyáwo = Sogro (Pai da esposa)

Bàbá oko = Sogro (Pai do marido)

Conheça a Fan Page Ao Òrìsà Com Amor. Curta e se junte a nós!! Clique Aqui e Curta a Página!

Então chegamos ao final dessa nossa oitava aula, hoje falando sobre os familiares. Lembrando que essa família também se aplica ao povo de santo, ao Candomblé. Bastando ter como base seu zelador (Bàbálórìsà) ou sua zeladora (Ìyálórìsà).

E vem muita novidades por aí, estamos em fase de mudanças maravilhosas para oferecer cada vez mais conhecimento a vocês que acompanham meu trabalho com o idioma e cultura Yorùbá. Não deixe de baixar sua apostila gratuita com áudios e ficar sabendo cada novidade que surgir.

O dábò Gbogbo!!!

Aula de Yorùbá Para Candomblé #3

Postado em

 

Aula de Yorùbá Para Candomblé #3

Aula de Yoruba para Candomblé

 

E aqui estamos com mais uma aula gratuita de Yorùbá totalmente voltada para o Candomblé, com termos, palavras e ideias de nossa amada religião. Muitos estão gostando e os apoios não faltam, então, vamos que vamos meu povo!

Caso seja sua primeira vez aqui, segue abaixo as aulas que você perdeu:

Aula de Yorùbá – n°1

Aula de Yorùbá – n°2


 

E não esqueça: Baixe seu Curso Gratuito com Áudios Aqui!


 

Aula de Yorùbá: Abàdá/ agbádá/ ágbada.

Voltando a tocar na importância das acentuações dentro da grafia yorùbá, nos deparamos com um termo que pode deixar a pessoa com cara de boba mesmo, frente a alguém que saiba falar ou/e ler o idioma. Daí a importância de não menosprezar um aprendizado básico do idioma dos òrìsà.

Abàdá é um adverbio com significado de algo para sempre, eternamente.
Ex.: Mo fé òrìsà abàdá – Eu amo meu òrìsà eternamente.

Ágbada é vasilhame, pote… bacia. Por favor, nunca vista um ágbada (rs).

Ex.: Fún mi ìyen ágbada. – Me dê aquele pote/ Me dê aquela bacia. (Fún mi = dê-me/ me dê)

Agbádá essa sim é a vestimenta masculina tradicional Yorùbá.  E como sempre, são vestimentas coloridas e muito bem adornadas, usadas por reis, sacerdotes e grandes dignatários da Nigéria e Benin.

 

African_Lace_VLM_74

Na verdade é o manto que cobre o corpo dos ombros até os pés ou joelhos. Tendo ainda o Bùbá e sóóró. No Curso Intermediário de Yorùbá você encontra melhor as descrições de diversas vestimentas Yorubanas.

African_Lace_VLM_02
Mas hoje, o agbádá é usado normalmente por qualquer cidadão, inclusive por nigerianos muçulmanos, evangélicos e os de cultos tradicionais. Há uma tendencia aqui no Brasil de tudo se associar ao Candomblé por vir de lá, mas há muitos vídeos no YouTube onde vemos cultos em Igrejas onde eles usam o agbádá. Seu uso é bem rotineiro, assim como o gèlé – Se não leu sobre Gèlé, os panos de cabeças usados na Nigéria, clique aqui e leia, muito bom por sinal rs!

917209_627687974016880_796288553_n
Então gente… não se vista com bacias e nem para sempre, vistam agbádá!! rs

Assim terminamos mais esta curta aula de Yorùbá para o Candomblé, espero que tenha gostado e quero saber de você: SOBRE QUE ASSUNTO GOSTARIA DE SABER, SIGNIFICADO DE ALGUMA PALAVRA? Deixe seu recado e quem sabe não estarei falando sobre o que você tanto quer ouvir. 🙂

E não esqueça de curtir a FanPage – Curso de Yorùbá – Venha Curtir!!

O dábò!!!

O Idioma Yorùbá

Postado em Atualizado em

O idioma Yorùbá não é uma língua morta como se ouve alguns falando por aí. Pertence a família linguística nigero-congolesa e é falado por mais de 30 milhões de pessoas. Com determinadas variações regionais, também chamado de dialetos, é falado na parte oeste da áfrica, principalmente Nigéria, Rep. Popular do Benin, Togo e Serra Leoa. Claro que nesses países o Yorùbá não é o idioma oficial, mas estão sempre presentes em um mix linguístico Inglês/Yorùbá ou Francês/Yorùbá, e vários outros dialetos.

Mas não só no continente africano o idioma é falado, devido ao tráfego negreiro, há a presença de Yorùbá no Brasil, Cuba, EUA e etc. Nesses lugares o idioma sobrevive mais pelos meios religiosos, no Brasil conhecido por candomblé. Mas há ainda muitas instituições estrangeiras, principalmente Norte-americana e Francesas, onde esse idioma toma conta até mesmo da grade curricular de alguns alunos.

Já no Brasil e Cuba, onde sobrevive, como dito anteriormente, graças ao cultos afros (Candomblé e Umbanda) é onde há o maior número de alterações e erros do idioma, pois como escreve o professor José Benistes sobre a grande vontade de o povo saber sobre os ritos e esquecendo outras coisas, como a linguagem, por exemplo. Assim escreve: “O seu conhecimento deveria estar no mesmo nível de interesse do conhecimento de atos religiosos, o que não vem ocorrendo. Por esse motivo, é utilizado mais pelo hábito de ouvir e repetir palavras, sem o conhecimento necessário de sua articulação e aprendizado de suas regras básicas de conversação”.

 

candomble-frame

Hoje em algumas cidades há novelas e filmes todo em Yorùbá. Canções não religiosas, Pop, Rap… todas elas em Yorùbá. Até mesmo um site todo no idioma, um site de notícias sério. Também tem o curso de letras – Inglês/Yorùbá – na Universidade em Ibadan. Sem contar a Bíblia em Yorùbá chamada de Bíbélì Mímọ́!

 

Este trabalho, simples, porém produzido com cuidado, para não disseminar mais erros, tem a intenção de diminuir o impacto causado pelo o que eu cunho como “analfabetismo Yorùbá” e fazer com que pelo menos cada pessoa que o adquirir, poderá aprender o correto e assim passar para frente. Não é intenção de esta compilação tornar você leitor, uma pessoa fluente no idioma, mas sim, lhe dar as bases do yorùbá; acabar com alguns vícios de escrita e pronuncia; valorizar a acentuação e entonação das palavras.

 

Foi idealizado para que você sendo um bàbálórìsà ou ìyálórìsà, ògá ou ekeji, passe para os mais novos os fundamentos do idioma dos deuses. E mesmo aqueles que ainda são noviços, podem ter contato com o idioma que vai acompanhá-lo por muito tempo dentro dos cultos, onde é a chave para a correta invocação dos deuses yorubanos. A riqueza dos cultos de origem afros aqui no Brasil, não pode ser sufocada apenas pelo interesse estético.

 

Estudemos o idioma, a forma de pensamento, sua vida a nível áfrica e a nível Brasil colônia, seus hábitos, suas crenças mais profundas.

 

 

Olùkó Vander Rio de janeiro, 2010   (Texto de Introdução da apostila de Yorùbá – Clique Aqui e Baixe a Sua)